É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

19.8.16

Os 7 Melhores Filmes Biográficos.

Esses últimos dias eu tenho liberado vários pôster com dicas incríeis de filmes, espero que vocês não fiquem chatiados porque agora vai mais um pôster. Eu amo filmes, e tô sempre assistindo algum seja antigo ou novo, e gosto de sempre vir compartilhar com vocês quando a história é boa. Por isso estamos qui mais uma vez pra trazer mais dicas. Existem um milhão de biografias incríveis que ao longo do tempo vem sendo adaptadas para os cinemas. O legal? Além de um passatempo ótimo que é assistir, a gente aprende muita coisa sobre o passado, seja sobre a revolução, moda, história, cultura, arte, ou uma simples história de amor. Sim, os filmes pode nos ensinar muita coisa, e é essa a aposta pra hoje. Eu separei meus 7 filmes biográficos preferidos e vim compartilhar com vocês. É claro que tem bem mais do que isso, mais algumas produções são mito antigas, outras são histórias que não gostei muito. Então eu escolhi apenas o que eu realmente curto, e indico pra vocês. Espero que gostem. Vocês podem sentir falta de alguns filmes como o da Coco Chanel ou de Maria Antonieta. Eu não coloquei eles na lista de hoje porque já tem outra lista de filmes com eles que eu liberei aqui no blog, então não quero ficar repetindo os mesmos filmes nos pôsteres. Então se você quer conhecer os três melhores filmes sobre histórias de princesas reais (clique aqui). Ou se você é apaixonado por moda quer ver os melhores filmes sobre o tema (clique aqui). São histórias ótima.
Sete Dias com Marilyn: Falecida há 50 anos, Marilyn Monroe permanece até hoje no imaginário de muitos cinéfilos. Em 15 anos de profissão, ela trabalhou em aproximadamente 30 filmes. Em 1957, procurando ser mais respeitada como atriz, viajou para a Inglaterra para trabalhar com o cultuado Laurence Olivier em O Príncipe Encantado. É justamente este período na vida da estrela que é abordado em Sete Dias com Marilyn. 
Embora esteja distante de ser uma obra-prima, o filme é bem interessante e cumpre seu papel de resgatar tal momento na vida de Monroe. O grande mérito para isso foi a escolha de Michelle Williams para incorporar a personagem. O tipo físico discreto e sua forte veia dramática fizeram com que muitos desconfiassem da atriz, com alguns chegando a apontar que Scarlett Johansson seria uma escolha bem melhor. Quem pensou assim, certamente mudará de ideia após conferir a produção, uma vez que Williams entrega uma Marilyn graciosa e cativante, fazendo com que os espectadores se apaixonem por ela ao mesmo tempo que o personagem Colin Clark, vivido pelo jovem Eddie Redmayne.
Grandes Olhos: A história real por trás de Grandes Olhos é extraordinária. Margaret D. H. Keane se divorcia de seu primeiro marido e se muda para São Francisco onde conhece Walter. Este se encanta pela pintora que retratava crianças com olhos exageradamente grandes e rapidamente a pede em casamento. Aos poucos, com o talento de Margaret para pintura e o marketing pessoal de Walter, os quadros das crianças se tornam um sucesso. Mas todos parecem acreditar que é Walter o verdadeiro pintor. Ele constrói uma carreira em cima dessa mentira e vai deixando Margaret cada vez mais perto de surtar. É curioso que esta trama tenha sido filmada por Tim Burton, autor de grandes obras fantásticas como Alice no País das Maravilhas, A Fantástica Fábrica de Chocolate e Edward Mãos de Tesoura. Após uma série de produções mal-sucedidas, ele decidiu se arriscar em um drama simples e naturalista. A intenção é boa, e muitos cineastas conseguiram retomar rumos mais criativos após fugirem de seus estilos habituais.
A Teoria de Tudo: Todos já ouviram falar de Stephen Hawking. Em A Teoria de Tudo, o filme nos mostra o cientista ainda jovem, que acaba condenado à cadeira de rodas por pura obra do acaso. Ainda assim ele é genial e desenvolve, com base em erros, sua teoria sobre buracos negros. Apesar de Hawking passar a maior parte do tempo mudo, Eddie Redmayne soube atuar de forma incrível com seus trejeitos e expressões. O filme é recheado de licença poética, o que pode fazê-lo parecer uma comédia romântica.
Sniper Americano: O filme conta a historia de Chris Kyle, considerado o sniper mais letal dos Estados Unidos. Pois é, o filme é foda. Não dá pra negar que ele era bom no que fazia, mas você pode ver esse filme por duas óticas: a primeira, que conta a história de um herói de guerra condecorado que, possivelmente, definiu o rumo de diversas operações. Se visto com um pouco mais de crítica, a segunda visão é bem menos gloriosa. Ela diz respeito ao lado que vem depois da guerra, a dificuldade de voltar pra casa de corpo e alma. Aos poucos, o atirador se torna obsessivo com seu dever, o que acaba sendo prejudicial para Chris e quem estava ao seu redor, na família ou mesmo no pelotão.
O Pianista: Um filme triste sobre a segunda guerra na Alemanha Nazista. Esse período está cheio de histórias trágicas! Władysław Szpilman é um pianista judeu que trabalha numa rádio da Varsóvia. Durante a segunda guerra ele foge para o Reino Unido na esperança de que a guerra não se prolongue demais, porém se percebe cada vez mais enganado.
127 Horas: Interpretado por James Franco, Aaron Ralston era um alpinista que ficou preso pelo braço em uma pedra e, sem nenhuma chance de resgate, amputou o próprio braço para sobreviver. E você se achava o foda não é? O desenvolvimento do filme se dá a partir disso e te deixa tenso. Não dá pra contar qualquer coisa além disso. O resto do filme é só sentir.
O Jogo da Imitação: Alan Turing liderou uma equipe da inteligência britânica durante a segunda guerra. O objetivo desse grupo? Decodificar as mensagens interceptadas da Alemanha Nazista. Tais mensagens eram codificadas com a máquina Enigma, que se atualizava a cada 24 horas. A história é narrada por Turing durante um interrogatório e alternada com cenas da sua infância mostrando sua grande inteligência prodigiosa e como acabou por se interessar pela criptografia.

2 comentários:

  1. Nunca assisti nenhum
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia
    Facebook
    Tem post novo todos os dias

    ResponderExcluir
  2. Eu já assisti o jogo da imitação e adorei, tô louca pra ver a teoria de tudo, sniper americano e sete dias com Marilyn parecem ser muito bons!

    ResponderExcluir

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...