É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

20.5.16

Resenha: Divertida Mente

Essa é a terceira resenha de filmes de animação que eu faço aqui no blog. Me julguem, mais eu gosto mais de animação do que de qualquer outro gênero. Esse foi umas das animações mais esperada do ano passado. É uma tremenda fofura. Eu sempre digo isso, hahahaha. A Pixar, conseguiu arrasar, mais uma vez. Ao longo dos anos, o estúdio fez fama graças à capacidade de criar universos bastante criativos a partir de situações inusitadas. "Divertida Mente", estreou em 18 de junho de 2015, os protagonistas são as emoções da menina Riley: Medo, Tristeza, Alegria, Nojinho e Raiva. Elas comandam o comportamento e as reações da garotinha de dentro de um centro de controle na mente. O filme bateu o record tornando-se a maior abertura de um filme original (que não faz parte de uma franquia prévia) na história do cinema. O último filme a bater esta marca foi “Avatar”. “Divertida Mente” tornou-se a segunda maior abertura da Pixar, perdendo apenas para “Toy Story 3”.  Ele foi inspirado na filha do diretor Pete Docter.  Pete observou sua filha crescer, e ela era essa criança feliz. Mas, de repente, entrou na pré-adolescência e começou a ficar pelos cantos, amuada. Ele se perguntava: 'o que aconteceu com a minha garota?', conta Morris, descrevendo um comportamento muito parecido com o de Riley nas cenas do filme. 
A história gira em torno da mente de uma garota, Riley, tendo como grandes protagonistas as cinco emoções responsáveis por conduzir sua vida: Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Nojinho. Cada emoção possui cor e temperamentos próprios, claramente infantilizados para facilitar a compreensão do público menor, mas ainda assim de uma profundidade impressionante. Riley Anderson é uma feliz garota de 11 anos muito satisfeita com sua vida, possui amorosos pais, amigos na escola e é muito boa no esporte que pratica, o hóquei sobre o gelo. Tudo vai muito bem até que é obrigada a mudar de cidade, de Minnesota para São Francisco. O filme aborda toda a questão emocional deste momento de dificuldades na vida da pequena menina, uma nova casa, nova escola, novos amigos. 
As formas encontradas para lidar com conceitos tão abstratos como as emoções e o funcionamento da mente humana, e transformar isso numa história ao mesmo tempo divertida e educativa, impressiona. Ela mostra o psicológico de uma garota na fase de transição entre infância e pré-adolescência. A história consegue passar uma leveza ao tratar de algo tão complexo como a mente humana, e para as crianças creio ser algo que, muito mais do que divertido de assistir, pode sim passar um ensinamento a respeito de suas próprias mentes e a maneira de lidar com os obstáculos que inevitavelmente aparecem na vida. Sempre pondo em pauta que sua vida nunca será só feliz, ou só triste, assim como qualquer outra coisa no mundo, é preciso de um pouco de felicidade e um pouco de tristeza pra ocorrer de forma certa. A felicidade é o sentimento de amor, diversão, segurança, mas é essencial também, que às vezes nos sintamos tristes, pois é esse sentimento que vai nos fazer colocar pra fora o que nos machuca, garantindo que estaremos renovados depois dessa fase. 
Ainda com relação as memórias, quando um evento com carga emocional muito grande é formada, gera uma memória especial que, por sua vez, gera uma ilha de personalidade. No filme, Riley possuía as seguintes ilhas da personalidade: família, amizade, honestidade, bobeira e hóquei. Estas ilhas da personalidade moldam quem somos e nossas prioridades na vida. No filme outras áreas da mente são demonstradas como Terra da Imaginação, a Produção dos Sonhos, a área da Memória de Longo Prazo e o fosso das Memórias Esquecidas. Todas estas regiões nos são apresentadas de forma muito criativas e originais. Por exemplo, alguns trabalhadores na Área da Memória de Longo Prazo, ficam rastreando as memórias que podem ser retiradas e jogadas no Fosso das Memórias Esquecidas. Bem interessante, né? Uma forma inteiramente divertida pra demostra a realidade do que se passa na mente humana. Toda emoção tem seu propósito e seu momento, a questão é sabermos controlar e dosar cada uma delas. 
Esse é um filme sobre amadurecimento e aprendizado, onde a alegria, raiva, medo e o nojo podem coexistir, só basta estarmos em completa harmonia. Divertida Mente é daqueles filmes que se assiste com gosto. Não apenas pelo entretenimento, mas também pelo tanto que lhe oferece em relação à criatividade, nostalgia, emoções e a própria vida. Um dos melhores filmes já feitos pela Pixar. Um filme encantador, cativante e divertido, que passa uma mensagem de sabedoria, afinal todas as emoções são importantes na personalidade das pessoas, tudo depende de como são utilizadas.
Mais uma animação pra se divertir e aprender! Assistam, vocês iram gostar.

3 comentários:

  1. Tenho de ver parece ser mesmo divertido
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia
    Facebook
    Convido-te a participar no Sorteio do cantinho =)
    Novo Sorteio ( Portugal & Ilhas )
    Tem post novo

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti metade do filme e achei incrível <3 até hoje não consegui terminar porque não tive tempo de ir na locadora ;-; Amei tua resenha ! Os filmes de animação com certeza são um dos melhores gêneros com toda certeza <3
    blog: estacaonoventae7.blogspot.com

    ResponderExcluir

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...