É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

3.4.16

O que tiver de vir virá

As pessoas vivem me dizendo que devo correr mais, se eu quiser conquistar as coisas mais rápido. Que eu tenho que falar mais, se eu quiser ter muitos amigos e que preciso sair mais, se eu quiser conhecer o mundo. Mais para que correr tanto? As pessoas ainda estarão lá, a terra não vai sair do lugar e eu tenho todo o tempo do mundo, (pelo menos é assim que eu prefiro pensar). Eu corri muito, e durante essa maratona eu cai, e me machuquei muitas vezes. Hoje eu prefiro respirar mais ao invés de falar demais, as palavras que não são medidas podem machucar profundamente. Eu também aprendi a escolher melhor minhas amizades. De que adianta ter 100 amigos e não poder confiar em nem um? Eu paro por um minuto na rua e vejo a cidade correndo, pessoas em busca de trabalho, de amigos, de realização de sonhos, de emprego. As vezes o cara que ela procura tanto é aquele que ela acabou de esbarrar e não percebeu, e a plaquinha de "procura-se funcionários" estava bem a frente e ele não viu. Eu parei de correr. Escolhi viver, escolhi deixar que a vida me traga aquilo que eu mereço. Eu abrir mão de muita coisa na vida pra conseguir minha felicidade e minha privacidade. Muitas pessoas tentam fazer eu me sentir culpada por não está disposta a entrar nessa loucura, é que talvez eu não faça parte desse mundo. Existe um ponto de chegada onde todos nós estamos tentando alcançar, eu só escolhi o caminho mais longo e mais calmo pra poder apreciar melhor a paisagem, e aos poucos, ir me conhecendo melhor. Lembra que eu disse que eu abrir mão de muitas coisas? Então, essas coisas só me faziam ser como todos, buscar soluções e metas em canto previsíveis, eu me distanciei, e isso me deu uma mente mais aberta. Me fez enxergar as simplicidade e a grandeza do mundo, o que muitas pessoas se limitam a ver. Eu escolhi andar na beira da praia só sentindo as areias batendo no meus pés ao invés de me lançar em alto mar sem saber o quanto eu iria nadar, ou se realmente havia algo do outro lado. Não é ser covarde, é ser realista. Prefiro caminhar sabendo que chegarei lá, que correr pra alcançar algo que talvez nunca me pertença. Acredito que tudo tem um motivo e a nossa vida toda já está traçada, então o que tiver que vir virá, por enquanto eu só vou respirar e viver.

4 comentários:

  1. Texto lindo, você escreve muito bem.

    Beijos
    http://pimentasdeacucar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,


    Parabéns pelo texto você escreve muito bem, continue assim...bjs.


    http://www.deslumbreacessorios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...