É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

9.8.15

Sobre as coisas da vida

Eu aprendi a viver.
 Aprendi que a vida prega peça todos os dias quando você nem mesmo sabia que fazia parte daquele quebra cabeça. Aprendi que ser forte não significa suportar sua dor mais ser um ombro para aqueles que são mais fracos. Aprendi que confiar nas pessoas pode ser o maior erro, mais também aprendi que ser sincero e verdadeiro com essas pessoas é a melhor atitude. Aprendi que meus verdadeiros amigos são minha família, aprendi também que aquelas pessoas que eu achava que era fácil viver sem quando a vida as tomou de mim, elas também levaram um pedacinho meu. Aprendi que príncipes encantados não existem mais que ainda sim é bom acreditar em contos de fadas e final felizes. Aprendi a valorizar mais quem eu tenho o meu lado, mesmo não confiando nessas pessoas elas ainda são pessoas e possuem sentimentos, não cabe a mim nem a ninguém machuca-los.
E percebi que os melhores momentos da vida são aqueles mais simples que são rodeados de gentes malucas e um por do sol incrível. E percebi que é muito fácil sentir falta daquelas que antes não significavam nada, por isso eu tento aproveitar melhor cada minuto. Aprendi a escutar mais em vez de falar, de sorrir mais em vez de julgar e de ser eu mesmo em vez de tentar o tempo todo ser algo que jamais vai me tornar original. Aprendi a aceitar mais os amigos que realmente se importam e a manter distancia daqueles que só querem se aproximar pra me machucar. Descobrir que pessoas mesquinhas e duas caras tem aos montes parei de julgar porque descobrir que ser falsa é só um meio delas se protegerem de si mesmas. Hoje só desejo o melhor pro mundo.
Aprendi a valorizar mais minha família, pois quando se perde um ente querido uma ferida muito grande aparece e só o amor e carinho verdadeiro de quem realmente se importa ajuda a cicatrizar. Aprendi que as piadas sem graças são aquelas que mais te fazem rir quando está sozinha. Aprendi que musica cura qualquer coisa e que sorrisos são os melhores remédios pra alma. Aprendi que meus pais sempre quiseram o melhor pra mim e eu os esnobei durante a vida toda. Aprendi que hoje meus melhores amigos são meus primos, eles são reais, verdadeiros e me conhecem há mais tempo. Aprendi que minha irmã apesar de errada ainda continua sendo minha irmã e é meu dever protegê-la e apoia-la. Aprendi que a escola é ruim quando ainda se estuda mais faz uma falta danada quando termina. Aprendi que as melhores coisas são aquelas que mais fazem mal, e que passar 18 anos da vida solteira é uma tremenda mancada, assim nunca dar pra saber o que é ser amada na adolescência, ou, o que é uma caminhada na praia tarde da noite quando os pais estão em casa preocupados.  Descobrir que nem todos os finais são felizes, na verdade, eles só dizem que são felizes porque eles nunca contam o que vem depois. É aí que tá a graça: Não tem mais nada depois. Aprendi que dói quando se ama intensamente, você se preocupa demais, depende demais, precisa demais, e tudo em excesso faz mal. Aprendi que ciúme não significa um defeito mais sim uma necessidade de cuidar de alguém que se importa. Aprendi que de repente, você vê que aprendeu várias coisas. Mas não foi de repente, foi aos poucos. "De repente" não quer dizer que você aprendeu rápido, quer dizer que você não percebe que está aprendendo, até que aprende. Hoje eu sei que a vida passa rápido demais e que se você não parar um pouco pra vivê-la acaba perdendo seu tempo.  Ela é um milhão de novos começos movidos pelo desafio de viver. Aproveite esse dia para desfrutar das coisas boas que fazem você feliz porque só se vive uma vez, e se for pra ser feliz que seja da melhor forma possível. Tá na hora de curtir, de conhecer pessoas, conhecer lugares, experimentar novas coisas. De estudar. De criar a sua vida, de comprar as suas coisas, de realizar os seus sonhos. São as pessoas simples que fazem a vida melhor, são aquelas que gostam de acampar, mesmo que os mosquitos atrapalhem a noite, aquelas que vão à praia não pra exibir o corpo, mas sim pra se divertir com os amigos, aquelas que ficam a noite assistindo filmes e comendo pipoca só porque um amigo ficou doente e não quis deixar ele em casa sozinho. São atitudes simples. A vida não precisa ser tão complexa assim. Um adulto brincar de amarelinha não vai fazer mal. Um sorriso dado de bom grado ao mendigo não irá matar, e ajudar a velhinha a atravessar a rua muito menos, isso só provará o quão se é bom de coração, simples, e capaz de apreciar o lado bom das coisas ruim que poucos sabem diferenciar. Eu sei, eu que não sou ninguém, ninguém com autoridade o suficiente para dar uma bofetada na cara de gente hipócrita e materialista, digo que sou uma menina antiquada, com meia dúzia de palavras difíceis na ponta da língua e um livro de romance nas mãos.” No fundo mesmo, a diferença entre mim e você é que mesmo nesse clichê de sentar em frente de um computador e escrever um texto que provável mente ninguém vai ler, eu sou feliz! E isso é o que importa.

(Sobre os momentos simples da minha vida que eu soube valorizar)

Adrielly Ruama

Um comentário:

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...