É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

19.8.14

Resenha: Perdida

Olá Pessoal. Antes de começar essa resenha você precisa saber que a partir do momento em que ler esse livro, ele será o seu preferido. O mais especial de todos. Há... E tem mais uma coisa, você precisa saber que eu estou apaixonada por Ian!? Confusa? Vai descobrir. Hahaha. Esse livro, ele é, tipo assim, sem palavras. Já li muito livros em toda minha vida, mais nem um que chegasse a ser tão espacial, interessante, lindo e emocionante como esse. Eu não sei exatamente o que esse livro me chamou atenção. Quer dizer, a história e incrível mais eu já li muitos livros lindo mais nem um tão bom como “Perdida”. Comprei o livro no mês de Junho, mais acabei não lendo ele, preferir começar por A culpa é das estrelas, que sairia em cartaz aquele mês. Então eu emprestei Perdida a minha prima, e dentro de menos de um mês ela leu ele 2 vezes e surtou. Quando ela veio me entregar o livro ela disse pelo menos um milhão de vezes que ele era muito perfeito. Em seguida levei pra escola e emprestei a 2 amigas minhas, quando terminaram, surtaram também. Hahahaha. Ai eu disse, não, agora eu tenho que ler já dizem que é tão bom assim, fiquei curiosa. E quando comecei, eu me apaixonei de verdade mesmo. Foi o primeiro livro que li dentro de 2 dias e meio. Quando comecei não quis mais parar. A história é de Carina Rissi. O livro é incrível. A forma fomo ela retrata o século de 1830, muito rico em detalhes, é como se sentisse que estava lá. A mistura de amor, paixão, romance, raiva e sarcasmo mo e incrível, como tudo isso junto cria um sentimento super divertido.
O livro conta a história de Sophia, uma garota da cidade grande do ano de 2010 que mora só desde a morte de seus pais. Ela é uma garota que já teve vários relacionamentos que partiram o seu coração, até o mais recente em que ela foi traída. Desde então sendo crescida sem ninguém apenas com sua melhor amiga, ela não acredita em Amor verdadeiro e ver o casamento como uma forma de escravidão. Até que certo dia após beber muito e acordar sem telefone, pois o seu acabou caindo dentro da privada, Sophia vai a uma loja e compra outro, o que ela não sabia era que aquele simples “monstrinho” (era assim que ela chamava o celular) mudaria a sua vida para sempre. E através daquele aparelho Sophia caba indo parar a dois séculos atrás, no de 1830. Quando chega lá ela conhece Ian, o carinha por quem se apaixona. Mais de não cara. Ela primeiro tem que se adaptar ao século aceitar os costumes do lugar e tentar o máximo não chamar atenção. Logo no inicio Sophia não revela de onde veio faz com que acreditem que ela foi saqueada por ladrões e sofreu uma pancada forte na cabeça e não sabe como voltar pra casa. Em meio a tantas coisas diferentes a mais difícil pra ela é aceitar o fato que estar um lugar que não tem banheiros... Hahahaha. Ela precisa usar vestidos longos, estar apaixonada pelo cara que salvou a sua vida, só que tem um monte de garotas que estão atrás dele, e procurar uma forma de voltar pra casa. O problema é que ela corre atrás de uma pista que no final que no final não leva a lugar nem um. Nessa sua jornada de tentar se adaptar ao século de 1830, lutar com o fato que estar se apaixonado por alguém que em breve irá abandona-lo, e lidar com essa confusão de estar no passado mais encontrar uma forma de voltar novamente pro futuro. O problema é que ela não sabe se é realmente isso que ela deseja. Sophia estar dividida entre dois mundos (literalmente), e tudo aquilo que ela pensava sobre o amor começa a se transformar dentro dela. Estando na mesma cidade em que nasceu só que em tempos diferentes, ao conhecer Ian, Sophia descobre o que é realmente o amor e pela primeira vez em sua se sente perdidamente apaixonada por um homem do século 19. Sendo que os únicos romances em que ela já havia vivenciado eram os dos seus livros. E ao ser acolhida pela a família Clarke, Sophia luta com essa paixão fortemente sedutora dentro de si. Ela sabe que não pode se envolver com Ian, mesmo ele sendo tão sex e desperte um amor tão erótico como ela nunca sentiu por ninguém, ela sabe que aquilo só prejudicaria a sua vida, pois cedo ou tarde ela teria que voltar para o futuro e aquilo só partiriam o coração de ambos. E com a ajuda do - lindo, gato e sufocante- senhor Ian Clarke, Sofia embarca em uma busca onde acaba encontrando pistas que talvez possa ajuda-la a revelar esse mistério e leva-la de volta para sua metrópole. O que ela não sabia é que seu coração teria que todo despedaçado antes que isso acontecesse. Ela teria que pela primeira vez na vida, vivenciar o amor. Perdida é uma história emocionante, intensa e muito rica em detalhes (pode acreditar ela dar detalhes até demais. Hahahaha). Você não vai conseguir ler sem dar muitas risadas com o jeito atrapalhado, mal humorado e cheio de gírias de Sophia Alonzo. Eu tenho certeza absoluta que quando você terminar de ler esse livro você vai se apaixonar perdidamente por Ian (um homem lindo,  educado, super rico, e virgem. Mais não por muito tempo perto de Sophia. Hahahaha).
Ficou na curiosidade? Não corre lá na primeira livraria que encontrar e garante o seu. Você não vai se arrepender. Eu juro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...