É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

17.10.13

Datas comemorativas do dia 17/10

Ola blogueiras.
Hoje dia 17 de Outubro e dia de muitas coisas; dia do eletricista, dia da Indústria Aeronáutica Brasileira, dia do profissional da propaganda, dia internacional da erradicação da pobreza, e dia do maquinista. 
Eu sei que dar ao parecer que essa datas não são tão importantes, pois não são muito conhecida e faladas, mas mesmo assim escolhi um cantinho especial pra falar um pouco delas. Okay.

Dia do Eletricista


No dia 17 de outubro é comemorado o Dia do Eletricista. O CREA-RN prsta sua homenagem a todos os profissionais de nível técnico e superior, que trabalham na instalação e manutenção das redes de energia, melhorando a vida de todos os cidadãos.

 O Eletricista

Nas construções, o serviço de eletricista é um dos mais importantes e meticulosos. A instalação comprometerá a segurança dos futuros usuários, se não for feita com paciência e funcionalidade. Com a descoberta da eletricidade, em 1831, o homem se tornou seu escravo, tanto que hoje não de concebe a vida sem o auxílio dos eletrodomésticos ou de uma simples lâmpada.

Os eletricistas são profissionais responsáveis pela instalação e manutenção de toda a parte elétrica da construção. Eles podem seguir diagramas desenhados por engenheiros e executá-los, sugerindo modificações, ou podem elaborar o esquema, se forem autônomos. O trabalho com a eletricidade pode trazer riscos à segurança, por isso é preciso usar sempre equipamento para prevenção de acidentes. A jornada de trabalho, geralmente, é de 40 horas semanais.

Os pré-requisitos desse profissional são a atenção aos detalhes, boa disposição física, boa saúde, capacidade de concentração, raciocínio matemático, habilidade manual, para trabalhar em equipe e interesse pelo funcionamento das coisas. A eletricidade é a característica marcante da civilização moderna. Conforto, comodidade, segurança, informações, mais tempo de lazer, simplificação do trabalho, são alguns dos muitos benefícios decorrentes de sua boa utilização.

Dia da Indústria Aeronáutica Brasileira

A história das indústrias brasileiras é bastante recente quando comparada à de outros países, principalmente os que viveram a Revolução Industrial no século XIX. Por isto, a maior parte das realizações industriais do nosso país se referem a instalação, manutenção, consolidação e integração do parque industrial. Só recentemente, na década de 90, que o Brasil começou a adotar uma política de competitividade. A produção de petróleo, por exemplo, praticamente triplicou em 1994, impulsionada pela crise de petróleo da década de 70. Também na década de 90 a indústria automotiva foi modernizada e cresceu significativamente. Entre 1990 e 1997, o Brasil passou a ocupar oitavo lugar na classificação mundial de produção de automóveis – antes era o décimo colocado. A indústria aeronáutica demorou para “decolar” no Brasil. Somente há cerca de 20 anos é que a produção de aeronaves brasileira ganhou força, mas valeu a pena: hoje, a Embraer é a quarta maior empresa produtora de jatos regionais do mundo; a indústria aeronáutica brasileira é a sexta maior do mundo. O “Tucano”, avião militar, é usado em mais de 14 Forças Aéreas no mundo, por exemplo. Até mesmo no espaço há a marca da indústria brasileira. Em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e com o Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE), foram desenvolvidos programas de construção de satélites, inclusive com a colaboração da Nasa. O CBERS, por exemplo, foi o primeiro satélite de sensoriamento remoto brasileiro, produzido junto com a China e lançado em outubro de 1999. A indústria de informática, principalmente de hardware, não pára de crescer, gerando grandes receitas para o país e diminuindo a necessidade de importações. Os estados de São Paulo e do Amazonas são os principais representantes. O primeiro é responsável pela maior parte da tecnologia de informação de que dispomos no Brasil.

Dia do Profissional da Propaganda

http://cimikiy.files.wordpress.com/2011/10/muitos-meios-de-publicidade.jpg
Parabéns àqueles que se debruçam sobre a ciência do comportamento humano e utilizam a técnica aprendida nos bancos universitários para esbanjarem talento na arte da propaganda.

O ofício do publicitário é relativamente novo, e vem a cada dia exigindo novas competências e habilidades de seus profissionais. Os sites de compras coletivas, assim como o Expresso Urbano, são parte do obscuro e desconhecido caminho pelo qual passa a propaganda no Brasil.

Não se sabe muito bem qual será o futuro da profissão no pós-internet, mas de uma coisa todos têm certeza: a criatividade, matéria-prima da propaganda, continuará sendo o diferencial dos melhores profissionais. Tempo é mais do que dinheiro para o publicitário; é espaço para uma grande ideia!

Em 1987, Washington Olivetto, um dos mais importantes publicitários do Brasil, criou o que seria a campanha mais importante da história da propaganda no país. O bordão “O primeiro Valisére a gente nunca esquece” fez história numa época de independência feminina e lançou tendências seguidas até hoje no mercado. Isso sim é criatividade direcionada!

Dia Internacional da Erradicação da Pobreza


A pobreza é uma atroz realidade com que uma grande parte do Planeta se depara. Muitos seres humanos continuam a viver, e a morrer, em condições degradantes.

Cerca de 1,2 mil milhões de pessoas (20% da população mundial), vive penosamente abaixo do limiar da pobreza (com menos de um dólar por dia), aproximadamente 850 milhões sofrem de fome e 30 mil morrem de causas directamente relacionadas com a pobreza. 


Nos países em desenvolvimento, mais de 1000 milhões de pessoas carecem de habitação adequada e estima-se que 100 milhões estejam sem abrigo. Um quinto da população não tem expectativas de vida para além dos 40 anos de idade, 160 milhões de crianças são subnutridas, 110 milhões não recebem educação primária e meio milhão de mulheres morre anualmente durante o parto. Estes são escassos exemplos das sérias catástrofes que a pobreza, directa ou indirectamente, tem vindo a desencadear.  

Embora de uma forma insuficiente e desigual, o mundo alcançou progressos reais no domínio da realização do primeiro Objectivo de Desenvolvimento do Milénio: erradicar a pobreza extrema e a fome, reduzindo para metade, entre 1990 e 2015, a proporção de população cujo rendimento é inferior a um dólar por dia.

Os países da África Subsaariana, nomeadamente Moçambique, têm registado progressos demasiado lentos em matéria de realização deste objectivo.

A oito anos da data-limite fixada, ainda são muitos aqueles que acreditam que, apesar dos resultados actuais, o alcance do primeiro objectivo é uma missão possível e comportável em termos de custos. A sua consecução, porém, depende de muitos factores, mas nenhum parece ser mais importante do que o estabelecimento de uma parceria global para o desenvolvimento, tal como prevê o oitavo objectivo do Milénio. Para isso, é preciso que  os países desenvolvidos façam um enorme esforço no domínio da ajuda, da redução do endividamento e das concessões comerciais e, naturalmente, no combate à corrupção. Do mesmo modo é necessário que os países em vias de desenvolvimento façam esforços importantes para reformular os seus programas de desenvolvimento.

Dia do Maquinista

No início do século XIX, a máquina a vapor revolucionou o mundo como um todo e a propulsão naval, em particular. A navegação foi virtualmente reinventada por essa nova tecnologia, em especial pelos aprimoramentos na propulsão naval. Essa nova forma de propulsão viria a alterar não só a maneira de impulsionar os navios, como também a sua fisionomia, com a incorporação, à época, de enormes e imponentes chaminés, bem como as características “rodas de pás”.
A Marinha do Brasil, em sua busca constante pelo aprimoramento, viu-se na necessidade de adequar a propulsão de seus meios e, por conseguinte, aprimorar a formação de seu pessoal. Com esse intuito, em 1857, criou o Corpo de Maquinistas para o Serviço de Vapores da Armada, com o propósito de formar os recursos humanos necessários à operação e manutenção dos navios que surgiam dessa nova conquista tecnológica.

Nessa busca diuturna pelo aprimoramento da máquina alternativa até as turbinas a gás, os motores diesel, os hélices de passo controlado e os sistemas eletrônicos e informatizados de automação e controle, as inovações sucedem-se em um ritmo vertiginoso, num processo dinâmico, onde são cada vez mais amplos os campos do conhecimento técnico necessários à condução e manutenção das instalações de máquinas.

Ao homenagearmos hoje todos os marinheiros que, ao longo do tempo, dedicaram-se a operar e manter esses equipamentos a bordo dos nossos navios, o fazemos reverenciando a pessoa do seu patrono, o Vice-Almirante ARY PARREIRAS, nascido em 17 de outubro de 1890, na Cidade de Niterói, que tendo ingressado na Escola Naval em 1907, como Sub-Maquinista Aluno, destacou-se pelo entusiasmo e dedicação aos estudos da mecânica e da eletricidade, empregadas nos sistemas de máquinas dos navios.

Maquinista e líder nato, exerceu vários cargos e funções, das quais destacam-se a Chefia do Departamento de Máquinas do Encouraçado "Minas Gerais", a Instrutoria do Curso Especial de Aperfeiçoamento de Máquinas para Oficiais, a de Oficial do Arsenal de Marinha da Ilha das Cobras e a Chefia da Divisão de Serviços de Máquinas da Diretoria de Engenharia Naval.

Foi, entretanto, durante a Segunda Guerra Mundial que demonstrou toda a sua capacidade de administrador quando, chefiando a Comissão de Instalação da Base Naval de Natal e, posteriormente como seu primeiro Diretor-Geral, contribuiu de maneira fundamental, para que o país participasse do esforço aliado no Teatro de Operações do Atlântico Sul. Sua dedicação e espírito realizador foram responsáveis pelo apoio daquela Base à Força Naval do Nordeste, imprescindível para manter no mar os navios com propulsão a diesel, desconhecidos para muitos marinheiros brasileiros àquela época.

Hoje, no ano em que se comemora o 119º aniversário de nascimento do Almirante Ary Parreiras, rememoramos os feitos do Patrono dos Maquinistas, homenageando, também, a todos os que servem com dedicação a esta valorosa atividade profissional da Marinha.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...