É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

3.8.13

O Começo do Fim


Dois beijos na face e um abraço meio sem jeito. Foi assim que você se despediu depois de terminar nosso relacionamento. Depois de me abandonar, e provar que aqueles últimos quatro anos não tinham significado nada pra você. Como é que alguém com quem eu dormi junto durante tanto tempo poderia ficar sem graça ao chegar perto de mim? Nossas despedidas sempre foram tão calorosas. Quando ia viajar na segunda, sempre comprava o melhor vinho e tomávamos umas taças e conversávamos o que faríamos longe um do outro na semana que estava começando. Porque não combinamos tudo dessa vez? Você fez tudo errado. Não me avisou que me deixaria não me deu tempo pra planejar meus dias. Porque não pensou em comprar um vinho antes de dizer tantas coisas? Podia ter feito pelo menos isso, eu juro que teria percebido.

Já se passaram três semanas, e ainda sinto como se os seus lábios estivessem encostados no meu rosto. Acho que a saudade e o medo de passar o resto da vida sem ninguém não estavam deixando que eu percebesse que dessa vez o fim era real. Mas vamos lá... Acabou e agora deixamos de ser plural, voltamos ao nosso solitário singular de anos atrás. Eu aqui, você pro lado de lá. Nada de nós.

Não sei qual é a parte mais dolorosa, quando estou indo dormir e não tenho com quem me enroscar, ou quando acordo e não vejo ninguém do meu lado e sigo o meu dia sem receber meu primeiro beijo. Tem sido assim: Tomo meu café da manhã, pego o meu carro e dirijo até o trabalho. Passo o dia pensando em como eu estaria feliz se você ainda estivesse comigo. Eu estaria esperando o intervalo pra te ligar, almoçaríamos juntos e pouco depois que eu voltasse você me mandaria uma mensagem, falando que aproveitou a pausa entre reuniões pra me lembrar que estava pensando em mim. Será que nunca nunca vou parar de pensar em tudo? Não vou conseguir seguir em frente? Até quando vou continuar comparando meus dias pós-você com quando estávamos juntos?

Me sinto péssima, não vejo razão nas coisas que faço no meu dia-a-dia. Logo de manhã já me pego questionando coisas faço a anos. "Por que vou arrumar a cama se a noite vou dormir aqui e desarrumar tudo outra vez?", e no decorrer do dia outros pensamentos do tipo vem me atormentar. Como eu disse, eu realmente me sinto péssima. Não sei se isso vai durar, mas resolvi escrever esse texto pra tentar desabafar.  Resolvi escrever esse texto para que um dia você possa ler e ver o que você me fez passar. Talvez assim eu consiga mostrar pra você como o começo do fim pode ser doloroso pra quem realmente ama. Talvez assim você poupe a próxima de passar pelo mesmo que eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...