É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que quero? Afinal, quem sou eu? O que estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? A gente fica nesse mar de perguntas e nada até encontrar uma resposta.

24.2.13

Eu te Amo?


Banalizaram o “Eu te amo!”. Sim, dizer eu te amo virou frase feita na boca das pessoas. Dizem eu te amo a torto e a direita sem se importarem com o real significado dessas três palavrinhas que de tão importantes que são possuem o poder de modificar pensamentos, atitudes, vidas. Dizer eu te amo é até certo ponto fácil, complexo mesmo é viver o amor, esse sentimento sem lógica que nos dá a consciência do que verdadeiramente somos e existimos.
O sujeito diz que te ama, que você é a mulher da vida dele, age como quem realmente ama, e você, calejada pelo passado, fica reticente, desconfiada e não leva muito a sério. As amigas dizem que voc é uma boba e que está deixando escapar um homem maravilhoso, e mais, ainda dizem que se você não o quiser pode passar o gato que qualquer uma ficará muito feliz com o dito cujo.
Você pensa, repensa, pesa os prós e os contras, resolve esquecer as mágoas que o “eu te amo” já lhe causou e resolve se entregar de novo. Abaixa a guarda e resolve deixar o coração bater descompassado. A vontade de estar com ele se faz frequente, e até a velha cara de apaixonada você não faz mais questão de esconder, suspirando sempre que se lembra do lindo. Aliás, tudo isso é muito lindo, até que o principe encEntão você fica se perguntando onde é que foi parar o amor que lhe era devotado ao se lembrar da inúmeras vezes em que ouviu eu te amo e quero você pra sempre na minha vida. É, parece que o principe que faltava adivinhar seus desejos mais ocultos teve um lapso sentimental e esqueceu tudo o que dizia a você assim que surge a oportunidade de soletrar as três palvrinhas mágicas a outra mulher, que surgiu não se sabe de onde  e nem quando, e volta a ser um belo exemplar de anfíbio.
Antoine de Saint-Exupéry, na obra O Pequeno Principe, diz que nos tornamos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos, portanto, não saia distribuindo eu te amo como quem distribui sorrisos, porque ao contrário de um sorriso, que é sempre bem vindo e afaga a alma, o eu te amo da boca pra fora pode machucar a alma.
Quando crianças brincamos de casinha, pique-pega, amarelinha, bandeirinha, até de médico a gente brinca. Isso tudo é saudável e nos ensina a viver em sociedade. E a gente pode e deve brincar de muitas coisas na vida, inclusive de ser feliz, o que é um exercício fantástico, o que a gente não pode, de jeito nenhum, em momento algum, é brincar com os sentimentos e a vida das pessoas. E dizer eu te amo, sem realmente amar, é mesmo uma brincadeira de péssimo gosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai postar um comentário? Ebaaaaa.
Espero que tenha gostado dos conteúdos do GLP, prometo que retribuirei seu comentário logo me breve, é só deixar o link do seu blog, e assim que possível, farei um visitinha. Prometo. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...